António Teixeira Lopes

Vida e Obra do Escultor, filho dos Fundadores da Quinta Vila Rachel

papiO Escultor António Teixeira Lopes nasceu em Vila Nova de Gaia em 27/10/1866. Era filho do Escultor José Joaquim Teixeira Lopes e de D. Raquel Pereira de Meireles, ambos naturais de S. Mamede de Ribatua, Alijó. Seu pai, José Joaquim Teixeira Lopes, era um excelente barrista e estatuário, tendo estudado em Paris e realizado numerosas figuras populares, estátuas de Santos para diversas Igrejas do concelho de Alijó (de que é exemplo a Senhora das Graças da Igreja de S. Mamede de Ribatua) e profanas (tais como o monumento a D. Pedro V na Praça da Batalha – Porto).

António Teixeira Lopes, na adolescência, trabalhou com seu Pai na Fábrica Cerâmica das Devesas de Gaia, de que este era sócio-fundador, retocando reproduções e fazendo olhos de vidro para Santos. Em 1882, iniciou estudos na Escola de Belas-Artes do Porto, tendo como professores Marques d’Oliveira (Desenho) e Soares dos Reis (Escultura). Em 1885, partiu para Paris, onde estudou  com Berthet e Gauthier e, depois, na Escola de Belas-Artes, com Cavelier e Barrias, tendo sido o melhor classificado do seu curso.

Nas férias , em Portugal, iniciou o busto de Teresinha, filha de António José da Silva, exportador de vinho do Porto e dono da Quinta do Noval, que é a sua primeira obra no país natal. De regresso a Paris, o Escultor montou ateliê próprio, onde desenvolveu os seus trabalhos e conviveu com os grandes artistas portugueses que à época rumavam à cidade-luz.

No Salon de Paris de 1889, expôs a “Comungante” (mármore) e o “Caim” (gesso, sendo modelo um rapaz de S. Mamede de Ribatua,  Manuel Vieira ), tendo recebido uma menção honrosa.

No Salon de 1890, expôs a “Viúva”(gesso) e o “Caim” (mármore), tendo sido agraciado com uma medalha.

Muito ligado às suas raízes alto-durienses, o Escultor passava largas temporadas na Quinta Vila Rachel em S. Mamede de Ribatua, Alijó, onde mantinha um pequeno ateliê.

16681779_1299616693441169_7661893729021590947_nO Escultor exibiu as suas obras em diversas exposições em Portugal e no estrangeiro, nomeadamente: Exposição Internacional de Berlim (1896), onde obteve a medalha de ouro, Exposição Universal de Paris (1900), onde recebeu o Grand-Prix, Exposição Internacional de San Francisco (1905), Exposição no Rio de Janeiro (1908).

Na realização das suas obras mais monumentais contou com a estreita colaboração de seu irmão Arquitecto José Teixeira Lopes e, após o falecimento deste (1919), com a de seu sobrinho Arquitecto António Júlio Teixeira Lopes.

 

 

Foi Professor da Faculdade de Belas-Artes do Porto durante muitos anos e Presidente da Sociedade de Belas-Artes do Porto.

Ao longo da sua vida de artista teve oportunidade de privar com as mais destacadas figuras ligadas às artes, letras e política, destacando-se a Família Real e os Duques de Palmela.

Formou um núcleo importante de discípulos, que incluiu Rodolfo Pinto do Couto (sepultado em S. Mamede), Manuel Ventura Teixeira Lopes (seu sobrinho), Carlos Meireles (originário de S. Mamede e seu primo) , Oliveira Ferreira, Júlio Vaz e Alves de Sousa.

O Escultor conseguiu obter grande projecção e consagração Nacional e Internacional, admirado pelos críticos, pelos seus pares e pelo público em geral. Foi um dos maiores escultores portugueses de sempre e as suas obras principais espalham-se por locais e edifícios públicos, museus e colecções particulares. Originais e réplicas das suas obras são frequentemente disputadas em leilões nacionais e estrangeiros.

Em 1933 doou a sua Casa de Gaia , bem como a maioria do seu recheio , à respectiva Câmara, criando-se assim a Casa-Museu Teixeira Lopes, sendo em contrapartida nomeado conservador vitalício da mesma.

 

 

Encontrando-se muito doente, quis deslocar-se para a terra dos seus maiores, em S.Mamede de Ribatua para aí falecer, em 22/06/1942, estando sepultado na capela-jazigo do cemitério da família.

 

PRINCIPAIS DISTINÇÕES RECEBIDAS

Comendador da Legião de Honra – França

Membro Correspondente do Instituto de França – Academia das Belas Artes (Teixeira Lopes foi até hoje o único artista português a pertencer a esta prestigiante Instituição)

Académico Honorário da Real Academia de S. Fernando – Espanha (onde se encontra o seu busto modelado por Mariano Benlliure y Gill)

Grã-Cruz da Ordem de S. Tiago de Espada

Sócio correspondente do Instituto de Coimbra

Diversas condecorações e medalhas

 

dam

Os comentários estão fechados.