José Teixeira Lopes

Vida e Obra do Arquitecto, filho dos Fundadores da Quinta Vila Rachel

José-TL-HDJosé Teixeira Lopes nasceu na freguesia de Santo Ildefonso, concelho do Porto a 28 de Janeiro de 1872. 

Após os primeiros estudos artísticos, que fez com seu pai, entrou em 1885 para a Escola de Belas Artes do Porto, onde cursou  Arquitectura Civil e Desenho Histórico (1891-1892). Teve como mestres José Sardinha, Soares dos Reis e João Marques de Oliveira.

Em 1892, foi ter com o seu irmão António a Paris, onde fez a preparação para o concurso das "Beaux-Arts" na oficina de Blondel, reputado arquitecto, que o considerava como um dos seus melhores discípulos, em cujo ateliê trabalhou até 1897, data em que regressou a Portugal, tendo começado a realizar projectos no seu gabinete da Praça da Batalha, no Porto. No piso térreo do mesmo edifício fundou mais tarde uma oficina de produção de mármores artísticos para aplicação na arquitectura. 

Considerado um dos melhores arquitectos portugueses da sua época, teve um papel de destaque na colaboração para a definição do tipo de casa portuguesa, para o qual vários arquitectos contribuíram, com destaque para Raul Lino, que teorizou (e praticou) amplamente sobre este tema. José, regressado de Paris, mostrou alguma influência da arquitectura francesa e do gosto internacionalista dominante, sobretudo nos “chalets”, mas rapidamente criou um estilo próprio, inspirando-se na observação dos monumentos nacionais e das casas portuguesas tradicionais, rústicas incluídas.

 

PROJETOS DE ARQUITETURA DE SUA AUTORIA:

Instituto Moderno na Quinta da Bela-Vista, em S. Roque da Lameira,  premiado pela Câmara Municipal do Porto

Sede do Banco de Portugal, no Porto, elaborado em parceria com Ventura Terra

Plano de urbanização da estância balnear de Miramar, em Vila Nova de Gaia

Capela de Miramar

Sede da Companhia de seguros “Garantia do Amazonas”, no Pará

Numerosas vivendas e chalets em Gaia, Miramar, Aguda, Granja, Matosinhos, Pampilhosa do Botão

Casa-museu Teixeira Lopes (1898), em Vila Nova de Gaia, cuja construção também dirigiu

Palacete Neomanuelino localizado entre a Avenida Brasil, na Foz do Douro, Porto

Casa Vila Rachel, para a Quinta de seus pais em S. Mamede de Ribatua, Alijó,  cuja construção também dirigiu.

Quartel_da_GNR_da_Bela_Vista

 

COLABORAÇÔES COM O SEU IRMÃO ANTÓNIO:

Portal do Museu Militar (Lisboa, 1895-1908) 

Mausoléu de Oliveira Martins no Cemitério dos Prazeres, em Lisboa 

Monumento da Guerra Peninsular, premiado pelo júri

Portas da Igreja da Candelária, Rio de Janeiro

Túmulo de Almeida Garret para o panteão dos Jerónimos (não concretizado)

Túmulo da Duquesa de Palmela 

Túmulo Pinto da Fonseca

José era também exímio aguarelista, com participação em diversas exposições, e ainda modelava o barro, tendo marcado presença no Salon de Paris de 1900 com um busto de menino.

Era académico de mérito da Escola de Belas Artes do Porto, onde foi professor, membro fundador da Sociedade dos Arquitectos Portugueses, membro do Conselho dos Monumentos Nacionais, vogal do Conselho de Arte e Arqueologia do Norte, membro da Comissão de Estética da Câmara Municipal do Porto, sócio honorário da Sociedade Almeida Garrett.

Em França conheceu Jeanne Émilie Bégaut, com quem casou e teve um filho, José Marcel, funcionário do Banco de Portugal. Jeanne morreu pouco depois do nascimento do filho e repousa na capela-jazigo do cemitério da família em S. Mamede de Ribatua.

BancodePortugalAlguns anos depois, José casou com uma antiga namorada e colega em Belas Artes, Emília Ernestina da Silva, pintora e professora, tendo o casal ficado a viver em Miramar, numa magnifica vivenda que José projectou e construiu. Tiveram dois filhos: António Júlio, arquitecto, e Manuel Ventura, escultor e director da Casa-Museu Teixeira Lopes, após o falecimento de seu tio António. 

Faleceu com apenas 47 anos, em 26 de Fevereiro de 1919, ficando sepultado num jazigo de família em Arcozelo.

Os comentários estão fechados.